Ocupa Borel e a Militarização da Vida, O: Violações de Direitos Humanos em Uma Favela Militarmente Ocupada
  • Ocupa Borel e a Militarização da Vida, O: Violações de Direitos Humanos em Uma Favela Militarmente Ocupada

ocupa borel e a militarização da vida, o: violações de direitos humanos em uma favela militarmente ocupada

editora: lumen juris
autor: laíze gabriela benevides pinheiro
SOB ENCOMENDA Cadastre-se e seja avisado quando o produto chegar.

Dados Técnicos

Autor:
ISBN13:9788584407323
ISBN10:8584407324
Número de Páginas:180
Número Edição:1
Ano Edição:2016

Largura:16
Profundidade:1
Peso:0,21
Altura:23
De R$ 70,00 Por R$ 56,00 ou em até 2x sem juros de R$ 28,00 no cartão
Indique este produto
Informações
Selecione a visualização desejada: Lista
Sinopse ocupa borel e a militarização da vida, o: violações de direitos humanos em uma favela militarmente ocupada
Esta obra convida à reflexão acerca das violações sistemáticas aos direitos e garantias fundamentais da população moradora de favelas sob o pretexto de garantia de segurança para uma parcela da população que tem cor, endereço e classe social bem definidos. A política de segurança pública atualmente vigente, antes de tentar regulamentar o uso abusivo de entorpecentes (o que seria mais pertinente para as políticas da área de saúde pública), visa a controlar os corpos e os territórios da população marginalizada (FOUCAULT, 2009), flexibilizando direitos e garantias constitucionais em nome de uma “eficácia” em uma guerra cujo objetivo é a dominação das camadas pauperizadas. É interessante perceber que o inimigo, embora corresponda a um padrão específico (jovens, negros, moradores de favelas e periferias e com baixa escolaridade), não pode ser individualizado. Não são apenas os chefes do tráfico organizado que tem seus direitos suprimidos, mas todo o indivíduo que corresponda ao perfil selecionado. Ou seja, não é necessário real envolvimento com comércio varejista de entorpecentes, mas corresponder ao padrão que o Estado entende como traficante. Desta forma, resta evidente o racismo institucional. A partir das pautas do ato político-cultural Ocupa Borel, foi possível desnudar a situação de violações cotidianas de direitos, sobretudo a suspensão de direitos sociais e culturais, em uma tentativa de disciplinação da população moradora do território, impondo uma nova ordem e interrompendo a relação que a comunidade mantinha entre si e com o território, tendo em vista que a livre circulação, a socialização e a vivência coletiva passam a depender de uma autorização do comando militar responsável pela área. O Ocupa Borel significou mais que um ato de denúncia, mas também um ato de afirmação da identidade coletiva de favelado, de morador do morro, e reconhecimento do funk, do rap e do samba como expressões culturais desta identidade.

Ocupa Borel e a Militarização da Vida, O: Violações de Direitos Humanos em Uma Favela Militarmente Ocupada

Ocupa Borel e a Militarização da Vida, O: Violações de Direitos Humanos em Uma Favela Militarmente Ocupada
De R$ 70,00 Por R$ 56,00 ou em até 2x sem juros de R$ 28,00 no cartão